Quero escrever um livro, mas que linguagem utilizar? As vezes um novo escritor nem para para perguntar a si mesmo uma coisa dessas; DEVERIA!

A linguagem utilizada em um livro, por melhor estória que tenha, pode fazê-lo ser muito, mas muito lido; pode fazê-lo ser muito, mas muito esquecido… Esteja certo disso!

O uso exagerado de palavras rebuscadas ou incomuns pode ser desastroso para sua carreira, se você for escritor, a não ser que seu livro anexe um dicionário extensivo para ajudar o leitor a compreendê-lo, digo, a não ser que você ache leitores dispostos a primeiramente querer fazê-lo.

É um grande erro achar que palavras difíceis deixam o texto mais adulto; bem como é bastante errado pensar que um livro com linguagem simples e clara se torna necessariamente infantil, certo?

É claro que você não precisa mastigar todo o texto (ele também precisa ser desafiador), mas não há a necessidade de dificultar a compreensão da estória, porque, na verdade, o que se quer fazer, é torná-la, ao máximo, inteligível a QUALQUER pessoa.

Assim, te encorajo a substituir a maioria das palavras que são esmeradas ou incomuns, a não ser que sejam próprias da cultura livro e dos personagens. Faça um teste, mantenha seu texto com ele está, mas crie uma versão dele, uma que seja mais clara e simples, e peça para que alguns amigos avaliem ambos; você vai ver como um texto claro, NÃO BOBO, é mais privilegiado. Assim, utilize um vocabulário que seja fácil de digerir; afinal, me parece ser muito, mas muito amador, usar um vocabulário complexo, apenas para dizer que o produto é cult ou que tem um público selecionado, não? ME parece….

Falando de mim, os meus textos iniciais eram carregados de palavras super, mas super difíceis, porque eu achava que isso trazia valor ao texto; refinado, elegante, desafiador, blá, blá, blá… Felizmente, percebi, depois de ouvir algumas pessoas, muitas, que meu livro seria um terrível fiasco, caso eu mantivesse um vocabulário forçado, antigo e desnecessário. Também percebi isso, depois de ler alguns best-sellers da literatura fantasiosa, que, apesar das muitas palavras criadas por seus autores (próprias da cultura da estória), todo o vocabulário era extremamente simples, e eu tentando dificultar…

Assim, precisamos lembrar que um livro, além de ser uma enorme realização pessoal, precisa ser dividido, compartilhado com outras pessoas, porque isso é uma outra parte desse sonho maravilhoso que é conseguir publicar. Justamente por isso, ele precisa ser DIDÁTICO, ou seja, abranger o maior número de pessoas quanto for possível; uma linguagem clara, acessível, revigorante e não cansativa, nenhum pouco, valeu?.

Para terminar, veja comigo, se o seu livro é uma fantasia, provavelmente já vão haver inúmeras palavras novas, criadas por você, para expressar objetos, títulos, lugares, sem contar os próprios nomes das personagens, certo? Se ele for grande (mais de quatrocentas páginas, por exemplo), já vai ser um desafio para o próprio público poder lê-lo (pelo menos para mim é), porque, por mais legal que ele seja, não deixa de ser enorme. Vamos lá, um livro repleto de uma cultura complexa, dentro da qual o leitor necessariamente terá que entrar, capítulos grandes, com páginas infinitas, e uma linguagem rebuscada, exaustiva e antiquada? Nós definitivamente podemos melhorar isso, sobretudo pelo fato de que as produções fantasiosas estão crescendo assustadoramente. Assim, opções não faltarão para o público degustar à vontade, o que demandará de você fazer grandes esforços para poder se destacar no meio de tantos mundos, personagens e dimensões, recém-saídos do “forno”. Não é fácil, mas você, digo, nós, vamos conseguir!

Hoje em dia, quando leio meus textos, fico bastante orgulhoso, extremamente, porque vejo um enorme amadurecimento na construção de cada um deles, principalmente quanto ao tipo de linguagem utilizada; foi o que mais consegui melhorar em mim. Assim, estou muito satisfeito por ter conseguido mudar; por isso, mas não só por isso, gostaria de compartilhar com vocês, uma ferramenta que me ajudou muito a simplificar minha escrita, o que deixou meu texto muito mais saboroso, DELICIOSO!; vou deixar o link abaixo.

http://www.dicio.com.br/

O Dicio é um dicionário online completo e bastante prático; sempre uso ele. Acredito que ele pode ser muito, mas muito útil, principalmente para novos escritores, que todos os dias enfrentam as enormes dificuldades de se sistematizar tudo o que se passa em suas cabeças criativas, fabulosamente criativas… rsrsrs.

Bem, acredito que é isso (mas sempre há o que se discutir). Se vocês tiverem alguma sugestão ou contribuição para este ou qualquer outro post, não se esqueçam de comentar, okay?

Assim, a távola, sua távola, dos escritores agradece por esta honrosa visita feita!

Voltem sempre… CAVALEIROS (AS)!

Texto escrito por Andrew Gomes.

 

Fonte da imagem de ícone: Para Além do Agora

Disponível em: <https://paralemdoagora.files.wordpress.com/2015/03/awebic-criativos-8.jpg?w=500&gt;. Acesso em abril/2016

Anúncios