Ai está um dilema no qual muitos escritores se encontram quando decidem escrever fantasia: ela precisa ser grande, será?

Como um novo escritor de fantasia, me peguei muitas vezes incomodado com o tamanho dos meus capítulos e do meu livro de modo geral, porque ao entrar nas livrarias, muitas e muitas vezes, e consultar a seção de ficção/fantasia, sempre vi que os livros dessa categoria geralmente eram grandes, ou melhor, imensos. Então, imediatamente associei essa característica à qualidade que eles tinham, porque realmente eles eram bons, são, são best-sellers. Assim, eu ficava com uma enorme sensação de angústia por causa disso, como se obrigatoriamente eu precisasse escrever um livro com quinhentas páginas para que ele, de fato, fosse bom, SÓ PORQUE ERA DE FANTASIA, “grande coisa”. E assim eu perdia tempo e mais tempo me questionando sobre o tamanho que o meu livro devia ter; era receio, simplesmente receio, de não ser bem recebido caso não fosse grosso, ainda que estivesse muito bem escrito e tivesse uma história ótima, como, de fato, estava e como, de fato, é.

Felizmente um dia, quando eu estava caminhando por uma loja cheia de cacarecos em um aeroporto, me deparei com Harry Potter e a pedra filosofal, peguei, a propósito, nunca eu o havia lido, e imediatamente pensei “Só isso?”, segurando o pequeno livro de duzentas e vinte e poucas páginas nas mãos, sem acreditar que o meu preconceito havia sido refutado muito, muito rapidamente; eu estava com um best-seller que era fino, UHU! Jamais eu imaginava que aquele livro fosse daquele jeito…, mas era, é! A partir daí, comecei a perceber que, dentre outras coisas, número de páginas é da alçada dos editores (tamanho e tipo de letra, espaçamento, margem e espessura da folha), e não do escritor, que deve se preocupar unicamente em escrever uma história que prenda o leitor do início ao fim; ela precisa ser interessante, não necessariamente grande, a não ser que seja grande e interessante. Não há necessidade de ocupar páginas com descrições desnecessárias ou diálogos que não vão dar em lugar algum; se isso não dá sentido à história, para que fazer o seu público lê-lo? Livro grosso não significa nada, cavaleiros (as)!

Assim, como um novo escritor que sou, incentivo vocês, meus colegas, a que escrevam, apenas; a que apenas escrevam, empenhando força para fazer um capítulo bom, UM CAPÍTULO BOM, porque é disso, e apenas disso, que é feito um livro ES-PE-TA-CU-LAR, ES-PE-TA-CU-LA-RES!

Ah, espero ver seus escritos, grandes ou pequenos, publicados, todos publicados logo! Se tiverem alguma contribuição, não esqueçam de comentar no post e de curtir ele também, okay? A távola dos escritores agradece à visita de todos e convida vocês a acessarem o nosso, nosso mesmo, blog frequentemente.

Um enorme abraço, cavaleiros (as)!

Texto escrito por Andrew Gomes

 

Fonte da imagem ícone: Google

Disponível em: <http://assets1.exame.abril.com.br/assets/images/2015/4/532882/size_810_16_9_thinkstockphotos-459418871.jpg&gt;. Acesso em abril/2016

Anúncios